Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia de São Paulo - Campus Sertãozinho
TwitterFacebook

Histórico

Em 1996, a Secretaria de Educação Média e Tecnológica do Ministério da Educação (MEC), representada pela Escola Técnica Federal de São Paulo (ETF-SP), celebrou uma Cooperação Técnica junto da Prefeitura Municipal de Sertãozinho, ocasião na qual iniciada a atuação de uma Unidade de Ensino Descentralizada (UNED) do Governo Federal em Sertãozinho.

 

Na ocasião, a escola ofereceu à comunidade local o Curso Técnico em Mecânica, nos moldes integrados ao segundo grau (atual Ensino Médio), fornecendo aos concluintes do curso a certificação relativa à respectiva habilitação técnica, como também o atestado de conclusão do segundo grau. Neste mesmo período, a escola ofereceu diversos cursos de Qualificação Profissional, dentre os quais muitos se viabilizaram a partir do estabelecimento de parcerias com entidades não governamentais. Uma das instituições que foram parceiras neste período foi a Associação para Proteção dos Adolescentes Trabalhadores (ADOT).

 

 

Por um longo período de tempo, entre os anos de 1996 e 2002, a escola não recebeu, por parte do Ministério da Educação, definições claras no que dizia respeito à sua forma de gestão e, portanto, não apresentava uma conformação institucional definida. Em boa parte deste período, a escola era compreendida como uma parceria do Governo Federal com município, consoante à sua constituição. Tal situação, cheia de incertezas, acabou impedindo que a escola pudesse se estruturar do ponto de vista de recursos materiais e humanos e, por diversas vezes, representava um contexto ameaçador com perspectivas de fechamento da unidade.

 

 

No que diz respeito às Políticas Públicas relacionadas à Educação Profissional Brasileira, o MEC sinalizou como única alternativa para manutenção da escola, assim como de outras no país que se encontravam nesta mesma situação o estabelecimento do Projeto PROEP, via segmento comunitário. Nesta ocasião, a partir da sensibilização local quanto à importância da escola para o município e sua microrregião, foi criada a Fundação para o Desenvolvimento Educacional e Cultural da Alta Mogiana (FUNDAM), cuja finalidade principal foi de manter o "Centro de Educação Tecnológica Professor Carlos Alberto Sarti", entidade na qual deveria ser transformada, segundo proposto no Projeto PROEP, a UNED - Sertãozinho do CEFET-SP.

 

 

Neste período, houve uma série de eventos que foram indicando o caminho das ações da educação profissional: Em 1999, por força de um Decreto s/n , Presidente da República Fernando Henrique Cardoso documenta a denominação CEFET (Centro Federal de Educação Tecnológica de São Paulo). No ano 2000, a Unidade passou a oferecer um Curso Técnico em Automação Industrial. Entretanto, dadas as diretrizes legais vigentes na época, esse curso não oferecia a formação de nível médio, mas somente a formação técnica. Em 2002, além do Técnico Industrial Automação e outros cursos de Qualificação Profissional de Nível Básico, foram oferecidos, por meio de convênio com a Secretaria de Estado da Educação, o Curso Técnico em Gestão Empresarial e Qualificação Profissional de Nível Técnico para a formação de Soldadores, Caldeireiros e Mecânicos de Produção e de Manutenção.

O Governo Federal cancelou o Projeto aprovado para a construção do "Centro de Educação Tecnológica Professor Carlos Alberto Sarti", por reconhecer a não necessidade de transformação da Unidade de Ensino Descentralizada de Sertãozinho, entendendo tratar-se, de fato, de uma Escola pertencente à rede federal de ensino. Nos anos 2003 e 2004, houve a oferta do Programa Especial de Formação Pedagógica, ministrado em convênio com a Associação de Pais e Mestres de Apoio Institucional ao CEFETSP-APM/CEFETSP. Esse Programa destina-se à formação docente para atuação no magistério da Educação Profissional.

 

 

Foi em 2004 que a Escola passou a contar com professores do quadro do CEFET-SP, sendo que, neste momento, o quadro era composto por apenas 15. Em 2005, foi reiniciado o Curso Técnico em Mecânica e em 2006 implementados os cursos técnicos integrados na modalidade de Educação de Jovens e Adultos.

 

 

A partir da lei nº 11.892, de 29 de dezembro de 2008, com a criação dos Institutos Federais de Educação, Ciência e Tecnologia,  a UNED Sertãozinho passa a ser entendida como Câmpus do Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia de São Paulo (IFSP).

 

 

Em 2010, foi realizado o 1º pleito democrático, que elegeu o Prof. Lacyr João Sverzut como Diretor Geral. Ao longo da gestão deste dirigente, dentre as novidades, o câmpus recebeu o curso de Engenharia Mecânica.

Atualmente, com quase vinte anos de história, encontra-se em fase final a obra de construção de um novo bloco para salas de aula, laboratórios e salas de atendimento de professores; tendo recebido ainda à doação de um novo espaço do poder público municipal para a construção de um auditório para atender às suas atividades acadêmicas.

 

 

 

No ano de 2015, como vem sendo realizado nos últimos anos,  na edição da Semana Nacional de Ciência e Tecnologia, o câmpus contou com mais de 40 atrações focadas principalmente nas áreas dos cursos oferecidos no Câmpus Sertãozinho. Na oportunidade 1.100 alunos de escolas de Sertãozinho e região além da comunidade interna e externa visitaram a feira e os projetos apresentados.

 

 

A instituição encontra-se estruturada por meio de uma proposta inovadora de gestão: a parceria entre o poder público, federal e municipal, e a sociedade civil organizada, que tem apresentado resultados positivos do ponto de vista de sua solidificação junto ao município de Sertãozinho e região.

 
Joomla SEO powered by JoomSEF

E-Tec Brasil Cadastro de Ex-Alunos
Siape Periodicos

Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia de São Paulo - Campus Sertãozinho


Rua Américo Ambrósio, 269 - Jd. Canaã - Sertãozinho - SP - Brasil - Cep: 14169-263
Fale Conosco


Desenvolvido por Equipe